mangá

Tudo sobre a história do mangá parte 1

História do mangá é uma monografia escrito por Irlayne Silveira para as pessoas que pretendem se aprofundar na história do mangá.

O objetivo deste nosso trabalho é oferecer, em linhas gerais, a origem dos quadrinhos japoneses, conhecidos como “mangá”, suas relações com a antiga arte sequencial japonesa e sua influência atual no ocidente. A escolha deste tema se deu, em primeiro lugar, pelo meu interesse pelos mangás e animês, que influenciaram fortemente minha própria maneira de desenhar.Também por ser um tema tão pouco estudado, visto que a atual popularização dos mangás e animês ofuscam seus vínculos com a arte e a cultura japonesa, sendo associados a um mero produto da indústria de entretenimento. A pesquisa teve como base teórica o livro de Sonya Bibe Luyten, “mangá-o poder dos quadrinhos Japoneses”, o qual foi possível traçar uma linha temporal desde o início da arte narrativa visual japonesa até o mangá atual. A análise semi-ótica se deu através da comparação entre as reproduções das antigas gravuras e pinturas japonesas com imagens de animes e mangás modernos, procurando comprovar as influencias e vestígios da cultura japonesa antiga. Também foram feitas comparações entre as imagens recolhidas na produção de quadrinhos, desenhos animados e outras formas de entretenimento produzidas em países do ocidente, comprovando a influencia sofrida pelos mesmos, depois de entrarem em contato com a estética dos mangás. Além dos traços dos desenhos e da forma de narrativa, os trabalho também mostrou qual a influencia dos mangas no comportamentos dos seus apreciadores no ocidente. Como parte importante do trabalho, também foi abordada como o mangá chegou ao Brasil, mostrando também desenhistas brasileiros que tem influencias dos desenhos japoneses, bem como o crescente interesse da geração mais jovem pelo mangá. Como conclusão, esta pesquisa analisou o quanto da essência original dos mangás se mantém presente neste processo de transposição para o ocidente.

OS ANTECESSORES DO MANGÁ NA ARTE JAPONESA

Figura 1

O “mangá”(figura-1) é como se define o quadrinho Japonês e também seu estilo de desenho. Quando o mangá se apresenta na forma de desenho animado, é chamado de “anime” (figura-2), palavra que deriva do termo em inglês para “animação”, “animation”. O surgimento dos mangás, ou dos quadrinhos no Japão, tem estreita relação com a influência dos quadrinhos ocidentais. No entanto, há também uma ligação entre os quadrinhos japoneses com a arte seqüencial japonesa, ao longo dos séculos, que mescla e incorpora elementos da cultura antiga japonesa nos “mangás” atuais, conforme já apresentado no livro “mangá o poder dos quadrinhos japoneses”, da autora Sonya bibe Luyten, a principal fonte de pesquisa para este trabalho. O Japão antigo recebeu fortes influências culturais vindas da China, o cultivo do arroz, o sistema de escrita, a religião (budismo), a ideologia (confucionismo) e as artes. Entre os séculos VI e VII, houve uma gradual propagação do budismo naquele país, tendo sido construídos muitos templos pelas principais províncias. Dentro destes templos foram encontrados os primeiros exemplares do que pode ser apontado como os primitivos mangás, os “ Ê-Makimono”.

Figura 2

Mangá (Figura 2) é como se designa o estilo de desenho e os quadrinhos japoneses. Fonte: www.zelda-solarus.com 01/08/2007

Figura 3

 

“Full metal panic?fumoffu”- fonte: images.businessweek.com 01/08/2007
“Anime” (figura 3 ) é o termo que designa os desenhos animados japoneses, cuos personagens são desenhados no estilo mangá.

“Full metal panic?fumoffu”- fonte: images.businessweek.com 01/08/2007
“Anime” (figura 3 ) é o termo que designa os desenhos animados japoneses, cuos personagens são desenhados no estilo mangá.

1.1Ê-Makimono Em 1935, durante obras de reparos nos templos de “Toshodaiji” e “Horyuji”, foram descobertos desenhos feitos a tinta e pincel. Tratavam-se de desenhos profanos, pessoas e animais eram desenhados com traços exagerados como narizes de grandes proporções, que indiciam aspectos eróticos na arte antiga japonesa. Tais desenhos são apontados como os exemplos mais antigos da caricatura japonesa. Segundo Osamu Tesuka, desenhista considerado o criador do mangá moderno, os Ê-Makimono foram muito populares nos séculos XI e XII. Tratavam-se de desenhos pintados sobre um grande rolo, contando uma história à medida que iam sendo desenrolados pelo leitor. Um dos grandes exemplos dessas obras é o conjunto de rolos chamado “Choujiga”(figura-3), cuja tradução do nome seria “desenhos cômicos de pássaros e animais”, feito pelo bonzo Kakuyu Toba(1053-1140). Apresenta como personagens, animais antropomorfizados: coelhos , macacos e raposas, satirizando as condições e a sociedade da época. Por esta humanização de animais, os japoneses comparam Kakuyu Toba a Walt Disney, só que há oito séculos atraz. Tal obra é considerado um clássico da arte japonesa e tem reconhecimento na arte mundial, tanto pelo humor, quanto pela técnica apurada com que foi produzido.

 

1.1Ê-Makimono Em 1935, durante obras de reparos nos templos de “Toshodaiji” e “Horyuji”, foram descobertos desenhos feitos a tinta e pincel. Tratavam-se de desenhos profanos, pessoas e animais eram desenhados com traços exagerados como narizes de grandes proporções, que indiciam aspectos eróticos na arte antiga japonesa. Tais desenhos são apontados como os exemplos mais antigos da caricatura japonesa. Segundo Osamu Tesuka, desenhista considerado o criador do mangá moderno, os Ê-Makimono foram muito populares nos séculos XI e XII. Tratavam-se de desenhos pintados sobre um grande rolo, contando uma história à medida que iam sendo desenrolados pelo leitor. Um dos grandes exemplos dessas obras é o conjunto de rolos chamado “Choujiga”(figura-3), cuja tradução do nome seria “desenhos cômicos de pássaros e animais”, feito pelo bonzo Kakuyu Toba(1053-1140). Apresenta como personagens, animais antropomorfizados: coelhos , macacos e raposas, satirizando as condições e a sociedade da época. Por esta humanização de animais, os japoneses comparam Kakuyu Toba a Walt Disney, só que há oito séculos atraz. Tal obra é considerado um clássico da arte japonesa e tem reconhecimento na arte mundial, tanto pelo humor, quanto pela técnica apurada com que foi produzido.

Continua…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
Powered by: Wordpress