mangá

Hero factory Brazil – História do mangá parte 3

 

Figura 11

Como parte da história do mangá, aqui veremos a evolução da escrita japonesa ao longo dos anos..

 

Gengi monotogari: A ilustração sempre esteve presente com a narrativa escrita. Fonte: www.wikipedia.org 05/02/2007
na literatura japonesa. Na imagem, abaixo, fragmento do atual mangá “DEATH NOTE”(figura-12), de Tsugumi Ohba, as setas vermelhas estão indicando as onomatopeias. A escrita japonesa se integra ao discurso do desenho além de cumprir sua função como texto. Quando os mangás são traduzidos para o ocidente, como é o caso da imagem abaixo, procura-se em muitos casos manter as onomatopeias originais para não destruir este aspecto importante da imagem. No detalhe, pode se ver a tradução da onomatopeia ,logo abaixo da original.

Figura 12

Figura 13

Fonte: http://www.meishusama.org/ 05/02/2007
1.2 Ukyô – Hokusai mangá

Durante o período conhecido como Edo (1660-1867), o Japão foi governado pela rígida ditadura feudal, o xogunato dos tokugawa, que dividiu a sociedade japonesas em castas( samurais, camponeses, artesãos e mercadores) e além disso, cortou as relações com os países estrangeiros após a expulsão dos portugueses. Nesta época, diversas formas de entretenimento popular foram surgindo nas cidades , como o teatro kabuki e o bunraku. Também teve início a produção de uma série de gravuras mostrando aspectos da vida cotidiana e histórias ilustradas. As mais populares eram conhecidas como “Ukyo-ê” .
O ukyo-ê captava o estado de espírito , a essência e a impressão das formas não obedecendo a perspectiva e a anatomia, tal como acontece na caricatura e no cartum.
Os temas mais freqüentes no início, eram homens e mulheres mundanas(figura-14), cenas de teatro(figura-15), lutadores de sumo e beldades famosas da época(figura-16). Depois foram aparecendo temas históricos, paisagens, flores e pássaros. Tais publicações se assemelhavam às atuais
histórias em quadrinhos por serem baratas divertidas e por entreterem as pessoas.

Figura 14

figura-14 “beldades em luta de braço” ,do artista Utamaro Kitagawa. Mulheres mundanas , artistas e beldades famosas(figura-17) eram temas freqüentes no Ukyo-ê. Abaixo “Ator em cena” (fig15).Posteriormente, temas como paisagens e animais(fig17) também passaram a ser retratados.

Figura 15,16,17

Fonte das imagens: http://www.deagostiniedicola.it/ARTICOLI/collezionismo/mostra_ukiyoe/index.html 20/05/2007

 

Um dos mais destacados autores de “ukyu-ê” foi Katsushita Hokusai, muito conhecido no ocidente por sua obra mais famosa , “As 36 vistas do monte fuji”, ele foi a primeira pessoa a cunhar a palavra “mangá”.Hokusai criou uma série de 15 volumes, designadas como “hokusai manga”, onde estavam presentes os temas já mencionados: a vida cotidiana, a personificação dos animais, a natureza , e também histórias de fantasmas .Seus personagens humanos eram caricaturalmente muito gordos ou muito magros, com longos narizes. A não ser pela ausência dos balões , quadrinhos e onomatopéias, a obra de Hokusai guarda muitas semelhanças com os mangás atuais. Hokusai deixou também um manual de instrução da arte de desenhar.

Figura 18

Fonte: www.artunframed.com 20/05/2007
Parte da série “As Cem Vistas do Fuji, de Katsushita Hokusai (1760 – 1849) , 1835, “A onda”(fig) também parte da série, é considerada celebre.Fonte:
www.belasartes.br 20/05/2007

Figura 19

Exemplos de “hokusai manga”, podemos perceber uma clara intenção em narrar seqüências de ação (figura-20), tal como nos atuais desenhos animados . As figuras descrevem movimento .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
Powered by: Wordpress