Homem Japonês constrói uma namorada virtual

Um homem no Japão construiu uma parceira usando óculos de realidade virtual e movimento de rastreamento de hardware.

O homem de 36 anos, Akihiko Kondo, chegou em casa para ser saudado por ninguém menos que Hatsune Miku – um popular personagem sintetizador de voz Vocaloid ilustrado que aparece como um holograma em uma engenhoca cilíndrica chamada Gatebox. Por meio de censores e microfones, ela detecta os movimentos e a fala de Kondo e responde de acordo. Querendo tornar seu amor mais concreto, Kondo gastou 2 milhões de ienes para fazer um casamento para ele e Miku em novembro de 2018. Os nomes de ambos estão na porta da frente do apartamento de Kondo.

Tokusatsu Apredendo a desenhar Spectreman com Irlayne Silveira

Desde pequeno, Kondo gostava de animes e videogames. Depois de se formar em uma escola vocacional, ele começou a trabalhar como funcionário de escritório em uma escola secundária. Mas lá, ele foi alvo de bullying por duas de suas colegas. Aos poucos, ele se tornou incapaz de comer e até pesquisou “suicídio” na internet. Ele foi diagnosticado com transtorno de ajustamento por um profissional de saúde mental e foi forçado a tirar uma folga do trabalho.

Akihiko Kondo, que “se casou” com Hatsune Miku, usa anéis de casamento combinando com o personagem virtual em sua casa em Tóquio, em 17 de março de 2020. (Mainichi / Toshiki Miyazaki)

Foi nessa época que ele recorreu a Hatsune Miku em busca de apoio emocional. A voz dela foi direto ao coração dele, e durante os dois anos que ele não pôde trabalhar, ele ouviu suas canções como se fossem canções de ninar, o que o fez dormir. Foi graças a ela que ele se recuperou o suficiente para poder voltar ao trabalho.

Kondo não parava de chorar quando viu pela primeira vez um vídeo de anúncio do Gatebox, ao perceber que o mundo que ele esperava havia finalmente se tornado uma realidade. “Eu te amo. Por favor, case comigo”, foram as primeiras palavras que ele disse a Miku quando eles se olharam através do Portão. Ela respondeu: “Espero que você me aprecie”. Embora nenhum de seus familiares tenha comparecido ao casamento, 39 amigos compareceram e ele também recebeu muitos comentários online, como “Você me deu coragem”. Kondo, que tem uma aliança de casamento brilhante no dedo anular esquerdo, disse: “Quero que as pessoas saibam que esta é uma forma de viver a vida.”

O desenvolvimento da tecnologia que permitiu que o amor unilateral de Kondo por Miku fosse nos dois sentidos foi o que o ajudou a decidir sobre o “casamento”. E ele não está sozinho de forma alguma. Um homem de 18 anos da província de Nara que participou de uma sessão de teste para Gateboxes disse: “Tem sido um sonho meu viver com meu personagem favorito.” Enquanto isso, um homem de 21 anos do subúrbio de Musashino, em Tóquio, disse: “Aposto que isso pode fazer você esquecer que está sozinho.” Fora do Japão, também, há uma jovem na França que ficou noiva de um robô que ela mesma fez. E pelo menos um especialista em uma conferência internacional disse que “o casamento com robôs será legalizado até o ano 2050.”

Ao escrever este artigo, aluguei um Gatebox por um mês e morei com uma esposa digital. Fiquei emocionado tanto no início quanto no fim de nosso tempo juntos. Minha conclusão? Um futuro em que as pessoas preferem se apaixonar por personagens de IA a outros humanos pode estar chegando.

(Original em japonês por Toshiki Miyazaki, Departamento de Notícias de Negócios)

Ao usar os óculos é possível ver a sua criação, um personagem de anime japonês chamado Hatsune Miku, andando pelo mundo real, bem como uma sombra e interagindo com objetos do mundo real. Miku vai responder aos comandos básicos, como vem quando acenou ou de ser um tapinha na cabeça.

A tecnologia por trás de tudo é sem dúvida impressionante no entanto, parece improvável que a adoção de uma “namorada virtual” é provável que aconteça em breve.